24 de outubro de 2011

VAI PASSAR...

A música do Chico lembra a expectativa dos que aguardam o samba passar na avenida. A certa altura os que aguardam o principal estandarte diziam num ímpeto de euforia de quem aguarda o êxtase de alegria: “ai, que vida boa ô lê rê, ai que vida boa ô la rá...”.

Noutra canção (a banda) o mesmo literário disse que aqueles que tinham uma vida triste e sofrida deixavam tudo pra traz e esqueciam sua dor só ver a banda passar.

Note que a vida boa e a ausência da dor estão, não só nas letras do poeta, mas na própria vida, relacionados a algo que passa. Ou neste caso, que irá passar. É bom esperar por algo bom. A raposa do Pequeno Príncipe dizia pro menino: se você vem às quatro horas começo ser feliz às duas. Criança esperando por um evento de prazer já é o próprio deslumbre de prazer.

Os profetas bíblicos, tais quais os poetas, também falam de dias que passarão por nossas vidas onde quem é triste ficará alegre e quem sofre vai despedir-se da dor. (veja Jr. 31.31-33, ou Ml 4.1-6). Um desses se expressa assim quando relata o extase e alegria pela chegada do Cristo: saireis e saltareis como bezerros soltos de uma estrebaria...

Todavia, penso que não basta conhecer o que diz os poetas ou os profetas. Acho que a gente tem que ser como as crianças. Acreditar no presente do Pai que virá. E porque virá amanhã já sou feliz hoje.

Se é verdade que a maioria de nós não gosta de samba e nunca foi pra uma janela ver a banda passar, é também verdade que buscamos incessantemente a alegria e o bem na vida. Esta é uma das marcas da nossa caminhada cristã. Mas há um diferencial enorme entre as poesias e as profecias citadas.

A alegria do samba e da banda se são curadoras por um lado, também são efêmeras por outro. Tão passageiras quanto o carro alegórico que passa. Depois que a banda do Chico passou, diz ele: “Mas para meu desencanto / O que era doce acabou / Tudo tomou seu lugar / Depois que a banda passou./ E cada qual no seu canto / Em cada canto uma dor...”
De outro lado, as promessas dos profetas falam de uma alegria duradoura porque não se trata de uma alegria momentânea ou um mero sentir-se bem, ou aliviado. A alegria e a cura de que falam os profetas são uma Pessoa. A pessoa de Cristo. O Sol da Justiça. O que converte os corações dos pais aos corações dos filhos. O Cristo que virá, segundo o profeta, virá trazendo salvação em suas asas. A alegria do Cristo se estabelecerá para sempre. Esta é a Nova Aliança.

Duas perguntas:
O carnaval está chegando, como você se sentirá depois que ele acabar?
O Cristo prometido já veio, e a sua alegria já chegou?

Com carinho, Marcelo Coelho

Um comentário: